Antimicrobianos Orgânicos

Nanoclean 80: Antimicrobiano orgânico desenvolvido dentro do padrão ANVISA elimina bactérias, vírus, bolores e leveduras. Elimina microorganismos prejudiciais as pessoas. Nanoclean 80 é um masterbatch antibacteriano potente, econômico e eficiente, aditivado com as resinas durante a fabricação dos produtos (duráveis e descartáveis) tendo uma eficiência por toda a vida útil do produto. Nanoclean 80 elimina os vírus envelopados (gripe, influenza, H1N1, gripe aviária, H1N5, gripe suína, H3N2v, hepatite A, hepatite B, hepatite C, HIV etc.). Produtos aditivados agregam segurança em hospitais, transporte coletivo, escolas, aeroportos, repartições públicas, restaurantes e até mesmo na sua residência. Antimicrobial Organic eficiente. Antibacterial Organic potente. Eficient Protection. Produtos aditivados com Nanoclean 80 agregam as funções antibacteriana e bacteriostática de forma definitiva.Potente redutor de Infecção Hospitalar e Contaminação Cruzada. Nanoclean é um produto eficiente e econômico, Nanoclean é o produto mais competitivo do mercado. Marca registrada e Tecnologia patenteada pela Provida.

Leia mais...
Você está em: Home Bactérias Causas e Efeitos Mecanismos de Filtração de Particulas de Respiradores.

Mecanismos de Filtração de Particulas de Respiradores.

Mecanismos de Filtração de partículas de respiradores.

Por Marc Roe, MS, CIH, Maria Kundus, RN, BSN, MPH, CIC;e Erik W. Johnson, MS, CIH, CSP

Provedor aprovado pelo Conselho de Enfermagem da Califórnia registrado, número do fornecedor 15619 por 1 hora de contato de educação continuada.

Objetivos

Após a conclusão dessa atividade de auto-estudo, o aluno será capaz de:
1. Descrever como as partículas em suspensão são capturada no filtro do respirador.
2. Explicar por que as partículas menores não são necessariamente mais difíceis de filtrar.
3. Discutir as diferentes classes de filtros de partículas / respiradores.
4. Identificar o ajuste adequado de um respirador.

 

Introdução


A necessidade de proteção respiratória tem sido reconhecida nas áreas de mineração de corte de pedra, moagem, e peneiração de grãos medindo o controle de infecção ao longo dos séculos. Os romanos usavam bexigas de animais para proteção contra o óxido vermelho de chumbo em minas, e sackcloths foram anexados junto a face para proteção contra poeira. Mais tarde, Leonardo Da Vinci recomendou a utilização de um pano molhado contra agentes químicos de guerra. Uma modificação desta entrou em vigor durante a Primeira Guerra Mundial como respiradores, que  foram desenvolvidos para proteção contra gases ou partículas venenosas tanto quanto altamente tóxicas.
O uso de dispositivos de proteção para o controle de infecção precoce também tem uma história profunda. Nos séculos  XVII e XVIII, alguns médicos pregavam o uso de uma máscara bico-like cheia de itens aromáticos. As máscaras foram concebidos para protegê-los do ar pútrido, o que foi visto como a causa das infecções. A partir de 1900, as máscaras cirúrgicas foram francamente utilizadas para minimizar o risco de infecção de feridas cirúrgicas a partir de bactérias gerados pelo pessoal médico durante o procedimento cirúrgico.
Hoje em dia existem muitos tipos diferentes de respiradores disponíveis para ajudar a reduzir a exposição respiratória do ar de vários contaminantes. Alguns respiradores usam carbono ou tratamentos que sao projetados para filtrar gases e vapores nocivos fornecendo ar respirável a partir de uma fonte de ar comprimido. Este artigo, porém vai se concentrar apenas nos respiradores de meios de filtracao fibrosos para capturar partículas sólidas ou líquidas.

Ambientes de Cuidados de Saúde

Respiradores de partículas podem ser usados para ajudar a reduzir a exposição respiratória para riscos biológicos, tais como Mycobacterium tuberculosis.
Pesquisa publicada indica que os aerossóis biológicos são filtrados de forma semelhante aos aerosóis não biológicos com o mesmo diametro aerodinâmico.4-8 Nos Estados Unidos, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), e a Occupational Safety and Health Administration (OSHA) recomendam e permitem, a utilização de qualquer um dos respiradores (95, 99, 100 ou HEPA) aprovado pelo Instituto Nacional para Saúde e Segurança Ocupacional (NIOSH),  para ajudar a reduzir M. tuberculosis exposure.9-10
Os profissionais de saúde muitas vezes perguntam como um respirador difere de uma máscara cirúrgica. Uma explicação simples é que, historicamente,
o objetivo primário da máscara cirúrgica tem sido a de proteger o paciente ou local da ferida a partir dos microorganismos exalados do atendente. As máscaras cirúrgicas também têm sido empregadas para ajudar a reduzir a exposição do usuário do sangue ou de outros fluidos corporais potencialmente infecciosos. No entanto, ao contrário de respiradores, máscaras cirúrgicas não são necessariamente concebidas para proporcionar uma selagem para o rosto, e normalmente não têm o desempenho de filtração para satisfazer NIOSH, testes de eficiência de filtração comprovam.

Vias de Exposição

A inalação é apenas uma via de exposição para os riscos biológicos. A infecção pode ocorrer a partir de outras vias de exposição, tais como
pele, ingestão e penetração da membrana mucosa (incluindo os olhos) e animal e picadas de insetos. Pele e mucosas podem sofrer penetração pela membrana, podem ocorrer contaminacao pelo contato direto com aerossóis ou em segundo lugar, por exemplo, uma mão tocando uma superfície  contaminada e, em seguida, tocando uma membrana mucosa.
O tipo de transmissao de uma doença indica quais os tipos de controles de prevenção podem ser utilizados. Se a doença pode ser transmitida
por contato, evitando superfícies que podem estar contaminadas e praticar a higiene apropriada das mãos, tudo é muito importante. Se a doença pode ser transmitida através de gotículas, máscaras cirúrgicas devem ser utilizadas por pessoas infectadas, a fim de atenuar a transmissão. As máscaras cirúrgicas, óculos de segurança e protetores faciais podem ser usados ​​para proteger a saúde do trabalhador, membranas mucosas (olhos, nariz e boca) podem ser protegidos de sprays de sangue e outros fluidos corporais.
Certas doenças podem ser transmitidas através da via aérea. Isto significa que se o organismo que causa a doença é de aerossol, e é inalado, existe o potencial para a doença. Partículas que vão desde submicrónica a 100 micrómetros (mm) de tamanho podem permanecer no ar. Partículas menores do que 100 mm de tamanho pode entrar no nariz, boca, e garganta e são consideradas "inaláveis". Partículas menores do que aproximadamente 30 um pode atingir os bronquíolos e as cavidades pulmonares, que são consideradas a fracção "torácica", e partículas menores do que cerca de 10 uM podem entrar profundamente no pulmão e são considerados a fração "respirável". "


A tuberculose é uma doença que se espalha pela via aérea. No ar, vírus e bactérias podem ser filtrados por respiradores com filtros de partículas. Porque o respirador não irá impedir a inalação de todas as partículas, tais como vírus e bactérias, respiradores não podem eliminar o risco de exposição, infecção e consequentemente as doenças. É importante compreender os respiradores de papel, que eles podem ajudar a reduzir a exposição de bioaerossóis.

A Figura 1 Mecanismos de filtração de partículas


Filtragem de partículas

Embora algumas vezes um equívoco ocorre, a camada de filtração das particulas em respiradores não é construído de uma fina malha de tecido agindo como uma peneira para manter as partículas maiores, enquanto permite que partículas menores passem pela malha. Muitos respiradores filtrantes de partículas usam fibras com menos de um micron a 100 micra  em tamanho de malha em uma teia de tecido não-tecido composta de várias camadas, que é na maior parte do ar. É os espaços entre as fibras que permitem a respirabilidade. Uma partícula não fica necessariamente  presa tentando passar por um buraco que é muito pequeno. Em vez disso, enquanto está "Tentando" navegar através de camadas do meio filtrante, uma partícula pode ficar ligada a uma fibra devido a um número de diferentes mecanismos. O mais comum destes mecanismos são o assentamento gravitacional, impactação inercial, interceptação, difusão, e deposição eletrostática.
Para entender como uma partícula é capturada, é preciso primeiro considerar o movimento do ar através dos meios filtrantes e o tamanho da partícula a ser transportado. O caminho do ar em torno uma fibra pode ser descrita de forma imaginária como linhas de fluxo. Qualquer partícula transportada pelo ar pode ou não permanecer dentro das linhas de fluxo, dependendo largamente do tamanho da partícula (Diâmetro aerodinâmico). Diâmetro aerodinâmico é, em essência, como uma gota de água em aerossol desse tamanho poderia interagir com o meio ambiente (média do filtro).  Ver Figura 1 para Mecanismos de filtragem de partículas.
Partículas muito grandes em correntes lentas de ar e a gravidade podem resolver. No entanto, as partículas mais respiráveis ​​são pequenas demais para esse mecanismo. Partículas respiráveis ​​acima de 0,6 micra de diâmetro podem ser capturadas por impacto, intercepção e inércia. Impactação inercial ocorre quando uma partícula não pode seguir o fluxo em torno de uma fibra por causa da sua inércia e em vez disso tem impacto na fibra. No mecanismo de intercepção,
a partícula mantém a aerodinâmica, mas naturalmente vai agilizar para trazer a partícula suficientemente perto para entrar em contacto com a fibra. Em contraste, a difusão afeta principalmente partículas abaixo de 0,1 uM. Movimentos aleatórios de moléculas de ar causam agilizam essas partículas muito pequenas para passar devido o movimento Browniano (o movimento aleatório das moléculas), até elas entram em contato com uma fibra.

Por causa dos métodos complexos de filtracao de partículas, da qual ocorre a filtração, as menores partículas não são sempre as mais difíceis de filtrar. A Figura 2 (Eficiência de filtração vs tamanho de partícula) mostra a interação dos diferentes mecanismos de captura de meios de filtração. Com a finalidade de mostrar a eficiência de filtragem em função do diâmetro da partícula.

A maioria dos filtros de partículas apresentam uma região de eficiencia mínima de filtração quando desafiados com partículas entre 0,05-0,5 micra de diâmetro,  partículas nesse intervalo são demasiado grandes para serem efetivamente empurrado por difusão e também pequeno para ser eficazmente capturado por intercepção ou impactação.

Atração eletrostática é um mecanismo inteiramente diferente de captura de partículas. Desde a introdução do filtro de resina de lã, em 1930, muitos dos filtros utilizados em respiradores são carregados eletroestaticamente.  A Atração eletrostática pode ser um meio de captura extremamente eficaz. Uma partícula carregada será atraída para a fibra que tem uma carga oposta. Além disso, uma partícula carregada vai induzir a fibra a um campo eletrostático que irá promover a atracao dos dois.

Tamanhos de bioaerossol

O tamanho dos bioaerossóis podem variar grandemente (figura 3). Para complicar as coisas é que o aerossol de vírus ou bactérias podem ser agrupado com os outros materiais em partículas. Eles podem ser agregados em conjunto com outros bioaerossóis de tipos iguais ou diferentes, ligado a partículas de pó, ou mesmo encontrado dentro de semi-líquido, tais como expectoração. As partículas deum aerosol que contem vírus e pode consistir de bioaerossóis com um intervalo de tamanhomuito grande. Além disso, os tamanhos de aglomeraods de bioaerossóis podem mudar (muitas vezes diminuindo) em um ambiente de sala. Por exemplo, a umidade relativa do ambiente (por exemplo, <65 por cento) pode causar a porção líquida do aglomerado de se evaporar. Se o líquido
da porção do aglomerado evapora completamente, o núcleo de uma gotícula pode ser formado, levando a uma partícula potencialmente muito menor.
Estas características tornam a classificação dos bioaerosois e a dificil previsao  do tamanho dos bioaerosois em ambientes. A figura 4 mostra a distribuição do tamanho do núcleo das gotículas de um espirro, e a eficiência de filtração média para seis respiradores N95.



Vários estudos têm tentado (mostrar) quantificar a quantidade de produção viral do paciente. (Figura 5). Estes estudos demonstraram que uma grande porção da atividade virai está contido em partículas inferiores a 5 mM, o que é um tamanho de partículas capaz de atingir a faixa respiratória profunda daqueles
que estão sendo expostos. Enquanto os supracitados estudos investigaram emissao viral do paciente, outros estudos têm investigado a distribuição de particulas de virus no ar do ambiente da  clínica, na zona de respiração dos trabalhadores que praticam cuidados de saúde. Um desses estudos, de Lindsley et. ai. coletou 285  amostras para influenza A e B e particulas de RSV e RNA por mais de 11 dias de uma clinica de assistência médica no setor de urgencia (figura 6). Na área das amostras, 43 por cento das particulas do virus da influenza A RNA sao menores que 4,1 micra, e 0 por cento do virus influenza B RNA sao menores que 4,90 nao foram encontrados particulas de influenza B RNA nesse diametro.  48 ​​por cento das particulas da influenza A RNA  são <4,9 micra, e nenhuma das partículas de influenza B RNA foram encontradas neste intervalo de tamanho. 9 por cento das particulas do RSV RNA foram inferiores a 4,1 micra para  o pessoal das duas amostragens.

Um dos principais desafios com a seleção do nivel adequado de proteção pessoal nos cuidados de saúde é a falta de informação sobre a dose infecciosa
e as contribuições relativas a potencia da dose por diferentes vias de exposição. Para complicar a investigacao dose / resposta é que cada  aerosol de bactéria
e tipo de vírus - possivelmente cada tensão - uma exposição diferente características.

 

Uma partícula é uma partícula

O comportamento de todas as partículas do ar segue as mesmas leis da física, independentemente do tipo de partícula (vivos ou mortos, sólido ou líquido,
haste em forma esférica) e assim, são filtrado de maneira semelhante. Bioaerossóis são filtrados de um modo semelhantecomo os aerossóis inertes, tais
como cloreto de sódio (NaCl), que é usado por NIOSH para testar respiradores 5-7,19-20
A maioria das partículas que contêm vírus têm um diâmetro entre 0.01μm e maior do que 0.3μm (10-300nm). Esta gama inclui o Vírus "nus" (apenas o ácido nucléico em torno da capa protéica) até clusters de vírus, tais como na tosse ou spray. Estudos demonstraram que estas partículas debacterias de tamanho (1-5 micra) e de fungos ( 1-40 micra) independentemente do tipo, são efectivamente filtradas pelo filtro respirador.

Figura 6. Gripe e RSV distribuição virai
no ambiente, tal como determinado por área
amostragem e exposição pessoal. Amostragem
ocorreu ao longo de 11 dias, com 0-4 clinicamente
confirmado de gripe A ou B pacientes por dia.
Adaptado de Lindsley et. al.16



inoculadas com Stachybotrys ATRA e armazenado a RH
tão elevada como 100 por cento durante 86 dias. S. atra cresceu

Sobrevivência microorganismo no filtro

Um ponto em comum de preocupação para os profissionais de saúde é a sobrevivência de microrganismos em filtros do respirador, o que poderia influenciar procedimentos de manuseio e armazenamento. Vários estudos foram realizados sobre a sobrevivência de microrganismos em filtros. Muitos tipos de filtros de respiradores e máscaras cirúrgicas foram estudados usandos vários tipos de microorganismos seguido por armazenamento a várias umidades. Os filtros foram propositalmente carregados com os microorganismos em exprimentos. As concentrações que eram provavelmente mais elevadas do que as esperadas em ambientes de trabalho. Os filtros de polipropileno usados ​​nestes estudos foram então verificadas a sobrevivência dos microorganismos que vão desde imediatamente após o carregamento de até 28 dias mais tarde, dependendo da experiência. Estes estudos demonstraram que havia organismos sobreviventes imediatamente após o carregamento e que sobreviveram para variar comprimentos de tempo, dependendo das condições de armazenamento do estudar e as espécies de organismos. Normalmente o armazenamento sob alta condições de humidade era o mais favorável para a longo prazo
sobrevivência. Portanto armazenamento de peças faciais de filtragem usado para ajudar a reduzir a exposição a bioaerossóis em sacos de plástico invioláveis
pode não ser apropriado. Os filtros podem ser úmida do uso e armazenamento em um recipiente não-respirável selada ou saco pode manter o nível de umidade elevado. Estes estudos também indicaram que enquanto que os microorganismos podem permanecer ​​no filtro, eles não foram capazes de crescer. Um destes estudos verificou que a a migração do organismo para o interior da peça facial do respirador e concluiu que os respiradores podem ser reutilizados ao longo do tempo, mesmo com pouco risco após uma semana de contaminação interna, desde que o respirador seja cuidadosamente manipulado e armazenado (tratado por não- componentes do filtro, por exemplo, cintas) . Os pesquisadores consideraram qualquer contaminação interna de bactérias devido ao manuseio (remoção do saco de amostra). Outro estudo analisou dois filtros de alta eficiência com diferentes porcentagens de celulose. Nesses filtros foram produzidas toxinas de celulose em condições de alta umidade relativa. Mais uma vez, estas condições que não são típicas durante a utilização normal do respirador e de seu armazenamento. Estas preocupações têm levado algumas pessoas a afirmar que um filtro tradicional, sem um revestimento de um biocida se transformaria em um terreno fértil para um vírus ou agente bacteriano. Os estudos acima mencionados não apoiam esta reivindicação. Embora possa ser relativamente fácil carregar um filtro com um biocida, determinar a sua eficácia é mais difícil. Um exame atento do biocida reivindicado precisa de ser feita. Muitos países exigem que para registrar o produto, seja medida a eficácia do biocida para proteger o paciente, e portanto deva cumprir com os regulamentos locais. Nos EUA, pedidos de propriedades biocidas ou antimicrobiana de bens materiais são regulados pelo Meio Ambiente Protection Agency (EPA). Na Europa, as solicitações devem
dar cumprimento à directiva Produto Biocida (98/8 /CE). Se as reivindicações não foram aprovados ou não estão em conformidade com os regulamentos locais, podem ser considerados inadequados. Muito pouco se pesquisou sobre biocidas para respiradores,  atualmente algumas empresas reivindicam propriedades antimicrobianas. Uma investigação sobre respiradores incorporando antimicrobianos com filtro tratado descobriu que havia particulas não-detectáveis ​​ou nenhum 
efeito sobre elas. Outro estudo encontrou uma diferença insignificante nas fracções de organismos sobreviventes capturado nos filtros não tratados e nos filtros tratados com iodo em semelhantes condições ambientais. Sendo o filtro tratado com um biocida pode apenas ser benéfico reduzindo contacto por transmissão a partir de organismos capturado na superfície externa da tela (TNT = tecido nao tecido).


Também pode ser depositado organismos sobre as correias da tampa da válvula de exalação, cautela com os clipes de nariz cautela, etc.  Assim durante a manipulação do respirador  ele ainda deve receber  um tratamento de biocida no filtro para a propagação de microrganismos causadores de doenças por contato com estes componentes respirador Em geral, estes estudos sugerem uma análise cuidadosa para a reutilização de filtros, tratamento e disposição respirador, especialmente quanto a organismos que possam ser transmitidos pelo contato. Medidas de precaução podem incluir a utilização de luvas e lavar as mãos após manuseio do respirador. Para que os organismos transmitidos apenas por inalação, a manipulação do respirador pode não ser crítica. Treinamento para usuários de respiradores devem incluir informações sobre o tratamento e descarte de respiradores, incluindo que mesmo quando o respirador seja utilizado por um curto período ele seja imediatamente descartado.

Capturando Partículas de aerosóis.

Uma vez que uma partícula seja capturada por uma fibra, ela irá aderir à fibra do filtro devido a forças de Van der Waals (induzida estático eletricidade). Portanto, os filtros são susceptíveis de ser bons coletores de pequenas partículas. Re-aerossolização é o processo pelo qual qualquer material na forma de aerosol fique depositado sobre o filtro e pode ser re-suspensa. Existe a hipótese de acontecer uma alta no fluxo de ar através do filtro, tais como se o paciente vier a tossir violentamente ou espirrar enquanto usa o respirador. Neste respeito, um experimento utilizou três microorganismos e duas partículas substitutas (NaCl e PSL (latex de poliestireno), de várias gamas de tamanho de 0,6 mm a 5.10 uM. Foram colocados três modelos respiradores faciais de filtragem de partículas. A velocidade de re-dispersão em aerossol foi de 300 cm / seg. A reaerolizacão foi significativa apenas para partículas maiores (3 e 5 mm) em ar seco. Não houve re-dispersão em aerossol quando os níveis de RH foram maiores do que 35 por cento. Estes autores concluíram que re-dispersão em aerossol de bactérias da TB recolhidos e outras partículas com menos de alguns mícrons de tamanho são insignificantes em condições encontradas durante a utilização do respirador. Eles também especularam que as conclusões eram válidas para outros matériais. Num segundo estudo para compreender melhor a as conseqüências da manipulação, os pesquisadores utilizaram partículas de 1μm PSL para simular esporos de antraz. Os dois modelos de filtragem de partículas da peça facial foram carregados com ~ 20 milhões  partículas. Os respiradores foram, então jogados de uma altura de três pés sobre uma superfície dura. A quantidade libertada variou 0-0,5 por cento e a libertação média medida 0,16 por cento e 0,29 por cento para os dois modelos. Embora este carregamento representa
um grau muito maior de carregamento do que seria de esperar em tipicos ambientes de trabalho, este estudo indica uma pequena fração consistente de 1 mM partículas capturadas por um respirador pode ser liberado no ar se o respirador experimentado tem  um impacto significativo. Estes resultados sugerem cautela na manipulação e eliminação de respiradores contaminados com esporos de antraz.


NIOSH Testando Classes de Filtros de Partículas

 

Nos Estados Unidos, respiradores são testados e certificados pelo Instituto Nacional para a Segurança e Saúde Ocupacional (NIOSH), que faz parte dos Centros de Controle de Doenças e Prevenção de Doenças (CDC). NIOSH testa e certifica nove classes de respiradores de partículas negativas de pressão baseado
sobre a eficiência de filtração e de resistência a névoas oleosas, capítulo 42 do Código dos EUA de Regulação Federal (CFR) seção 84.31 "Filtos de pressão negativos" significa que se a pressão do ar dentro do respirador é negativo durante a inalação com respeito à pressão do ar ambiente, que puxa o ar através
os cartuchos ou filtros. Respiradores classificados como 95, 99 ou 100 devem demonstrar filtração eficiência maior do que ou igual a 95 por cento, 99 por cento ou 99,97 por cento, respectivamente. A série N filtro é desafiada com um uma particula sólida de NaCl partícula de cloreto de sódio. Eles são indicados para uso contra aerosóis não oleosos,  tais como sílica, amianto, madeira, poeira, bioaerossóis, etc Não existe nenhuma restrição a partir da NIOSH comprimento em relação de utilização. No entanto, a higiene industrial dita que o filtro dos respiradores devem ser substituídos se fisicamente estiver danificado , aumento de resistência à respiração deve ser observada. De acordo com as políticas administrativas ou por instruções do fabricante. Além disso, certos modelos de respiradores usados ​​nos cuidados de saúde são registrados pelo FDA como "uso único" dispositivos médicos, dispositivos e regulamentos da OSHA e as políticas de controle de infecção pode limitar o uso repetido. A série R e P são desafiados com um particula oleosa, partículas líquidas. Eles são para uso contra névoas oleosas tais como o corte e trituração.  NIOSH também testa e certifica alta eficiência (HE)) de filtros para ar que alimenta respiradores e purificadores (PAPRs). NIOSH seleciona seu teste para filtro de partículas com uma combinacao de critérios  "de pior caso e muito grave critérios de teste. "4, por exemplo, os tamanho de partícula que é o mais penetrante e que vai depender do filtro, mas como mencionado acima, a maioria dos filtros tem uma região de filtragem de mínima eficiência em algum lugar entre 0,05-0,5 mM. Portanto, NIOSH utiliza uma distribuição de aerossol com um diâmetro aerodinâmico médio de massa (DAMM) das 0,3 pm para testar os filtros de partículas e respiradores.

NIOSH utiliza um aerossol que tem sido neutralizado para o estado de equilíbrio de Boltzmann. Como observado anteriormente, uma partícula carregada será muito mais fácil para capturar e, assim, dar uma maior filtração eficiência. O estado de equilíbrio de Boltzmann significa que, enquanto algumas partículas carregadas permanecem, a distribuição média de carga é zero. O comprimento do teste irá também ter um efeito sobre a eficiência do filtro. Um agente de teste sólido normalmente irá para a superfície do filtro ao com o passar do tempo. Este permitirá passar menos material através do elemento , e levantar a eficiência   de filtração ao longo do teste. No entanto, outros aerossóis pode degradar o filtro formar meios de comunicação e de reduzir a eficiência de filtração ao longo do tempo. Portanto, NIOSH mede a eficiência de filtração no início e ao longo do ensaio para garantir que nunca será inferior ao de 95 por cento, 99 por cento ou 99,97 por cento de filtragem. Ftalato de dioctilo é utilizado porque é sabido que por ser duro mecanicamente nao degrada como certos tipos de meios filtrantes. Uma taxa de fluxo de 85 litros / minutos é utilizado porque o alto fluxo irá diminuir a eficiencia de filtração menores. Todos estes critérios de ensaio, ajudam a garantir que as partículas são eficazmente  capturadas em duras condições ambientais durante o uso pesado.


Fit Facial

Enquanto um respirador pode ter excelentes meios de filtração, partículas irá em torno dos lados da peça facial se houver uma vedação inadequada facial. Ar e partículas, preferencialmente passar através de vazamentos faciais porque eles oferecem muito mais baixo resistência do que o respirador itself.32 Com vazamentos substanciais, uma respirador com uma classificação mais alta eficiência de filtração pode realmente oferecem menos proteção do que um respirador devidamente equipada que tem uma menor eficiência de filtração rating.33 É por esta razão que OSHA requer um ensaio de ajuste de funcionários que usam apertada respirators.3 4 Isto é verdade se o respirador é uma filtragem peça facial (máscara de pó) ou outro apertadas facial. Caber teste deve ser repetido anualmente e sempre que houver alterações respirador desenho ou estrutura facial que poderia afectar ajuste apropriado tal como descrito no utilizador do fabricante instruções. Usuários também deve realizar uma "verificação de vedação do usuário" cada vez que o respirador é donned antes de entrar na
perigosos área.

Fator de Proteção Atribuído

A eficiência de filtragem é muitas vezes confundido com o atribuído fator de proteção (APF). Embora a eficiência de filtração é uma medição do filtro, o APF olha para o respirador como um todo (incluindo qualquer perda potencial face de vedação em um ambiente de trabalho). OSHA definida a APF como "o local de trabalho de protecção respiratória que um filtro respirador ou classe de filtros respiradores deverá fornecer aos empregados quando o empregador implementa um respirador, o EPI é indicado por um programa de proteção contínua chamado [pela 29 CFR 1910.134]. " APFs são demonstrados para uma classe de respiradores, independente do fabricante. Por exemplo, Nos EUA, máscara facial de filtragem de meia pressão negativa, incluindo respiradores, são
dado um APF de 10 (independentemente da classe de filtro). Isto significa que este estilo de respirador podem reduzir a exposição por um fator de
10 (90 por cento), quando devidamente utilizado, com manutenção correta, etc A APF é usada para determinar se ou não um dado tipo de respirador
pode reduzir a exposição respiratória para o limite de exposição afirmado pelo fornecedor. No entanto, para os microrganismos transportados pelo ar,
Simplesmente não existe limite de exposição publicados. Portanto, organizações de orientação, como o CDC, recomenda os tipos de respiradores que podem ajudar a reduzir a exposição.

Hierarquia de Controles

OSHA requer uma hierarquia de controles. Os empregadores devem tentar implementar controles de engenharia, como primeira prioridade.
Estes incluem métodos tais como a substituição de materiais mais seguros de ventilação. Os controles administrativos, tais como limites de tempo de uso na área de risco, a eliminação ou minimização da exposição de substâncias nocivas são a segunda prioridade com equipamento de proteção individua. Na saúde, os métodos de controle podem incluir a identificação precoce de pacientes suspeitos, com pacientes usando máscaras cirúrgicas, o isolamento com pressão negativa, o aumento de trocas de ar em salas, etc Equipamentos de protecção individual, tais como respiradores só é permitido quando tais controles estão sendo implementado, ou se não forem adequado.


Resumo

Respiradores de partículas pode ser utilizado para ajudar a reduzir a exposição respiratória de partículas em suspensão, incluindo particulas biológicas e
aerossóis. NIOSH utiliza um protocolo de teste rigoroso, incluindo aerossóis na gama de tamanho de partícula mais penetrante para avaliar a eficiência de filtração. Portanto filtração, eficiência contra aerossóis no local de trabalho, muitas vezes podem ser igual ou maior do que a avaliação afirmada pelo fornecedor.
Os empregadores são obrigados a implementar um programa de protecao respiratória compatível com OSHA 29 CFR 1910.134. Este deve incluir: a seleção adequada, avaliação médica, teste de ajuste, o uso, treinamento, armazenagem, manutenção, juntamente com outro ponto integrante de componentes para um programa eficaz eficaz de proteção. Respiradores são tipicamente o último passo na hierarquia dos controlos utilizados para ajudar mitigar a exposição do empregado.


Marc Roe, MS, CIH, é um representante técnico sentante para respiradores descartáveis, e respiradores cirúrgicos para 3M OH & ES e IP Di- visões, St. Paul, Minnesota Ela é uma indústria com certificação higienista, com certificações em combate a incêndios, NR-EMT-B, e como um CNA.

Maria Kundus, RN, BSN, MPH, CIC, é umaespecialista serviço técnico da 3M Saúde Divisão de cuidados de Prevenção de Infecções em St. Paul, Minnesota Kundus tem mais de 17 anos da experiência no campo da infecção pré- prevenção e controle no âmbito da atenção critica, ambulatorial, cuidados de longa duração e reabilitação de serviços de saúde ção. Em seu papel atual, Kundus lecionou para o público em os EUA e internacionalmente sobre os temas de prevenção e controle da infecção e estéril-ização. Ela é certificada em controle de infecção e é um membro ativo da Associação de Profissionais em Controle de Infecção e
Epidemiologia (APIC) e da Associação de periOperative Registered Nurses (AORN).

Erik W. Johnson, MS, CIH, CSP, é um técni-cal representante para a 3M Ocupacional Divisão de Saúde e Segurança Ambiental, St. Paul, Minnesota Ele tem mais de 18 anos de experiência em proteção respiratória inclu-ção respiradores desenvolvimento de cuidados de saúde mercados.

Referências
1. Pritchard J. Um guia para Respiratória industrial
Proteção. Cincinnati, OH: Instituto Nacional de
Segurança e Saúde Ocupacional; 1976.
2. Loudon I. Ocidental Medicine: An Illustrated
História. Oxford University Press, 2002.
3. Oberg T, Brosseau LM. Filtro de máscara cirúrgica
e ajuste de desempenho. American Journal of Infection
Controle. 2008; 36 (4) :276-282.
4. Chen S-K, Vesley D, Brosseau LM, Vincent
JH. Avaliação de uso único máscaras e respiradores
para a proteção dos profissionais de saúde contra
aerossóis micobacterianas. American Journal of
Controle de Infecção. 1994; 22 (2) :65-74.
5. Brosseau LM, McCullough NV, Vesley
D. eficiência de coleta micobacteriana aerossol
de respirador e filtros de máscara cirúrgica em
variando as condições de fluxo e de humidade. Aplicado

Trabalho e Higiene Ambiental. 1997; 12 (6) :435-445.
6. McCullough NV, Brosseau LM, Vesley Colecção de D.
Três Aerossóis bacterianas por respirador e filtros de máscara cirúrgica
Em diferentes condições de fluxo e umidade relativa.
Anais de Higiene Ocupacional. 1997; 41 (6): 677 -690.
7. Qian Y, Willeke K, Grinshpun SA, Donnelly J, Coffey
CC. Desempenho de respiradores N95: eficiência de filtração para
microbiana no ar e partículas inertes. Am Ind Hyg Assoc J.
1998; 59 (2) :128-132.
8. Willeke K, Qian Y, Grinshpun S, Ulevicius V.
Central. 1996.

 

Fonte: Infection Control Today.  Entre no site www.ict.org e leia a matéria com as tabelas e gráficos.

Att.

Nanoclean Nanotecnologia GmbH.

 

Soluções antimicrobianas:

Masterbaches Antimicrobianos.

A Provida Antimicrobianos possui produtos que quando aplicados em resinas plásticas, borrachas, silicone e TR eliminam vírus, bactérias, leveduras e bolores. Leia sobre o o masterbatch orgânico Nanoclean 500, masterbatch inorgânico Nanoclean Glass e masterbatch natural Nanoclean Active. Essa é a linha de masterbaches antimicrobianos.

Vidro Líquido Antimicrobiano (sanitizantes e detergentes)

Temos uma segunda linha de produtos antimicrobianos, são os produtos que podem ser aplicados em superfícies novas e usadas.

São produtos práticos, econômicos e eficientes. Saiba mais sobre os Nanocleaners.

Vidro Líquido Definitivo (longo prazo)

Também temos soluções definitivas que evitam a formação de biofilmes e também tem o propósito de economia de água, energia, detergentes e serviço, visite: www.nanoclean.ind.br veja tudo sobre Vidro Líquido ou Liquid Glass, uma tecnologia Alemã.

Temos soluções específicas para mercados:

Soluções para veículos: www.nanoauto.com.br

Soluções para arquitetura: www.nanohome.com.br

Soluções para área náutica: www.nanonautico.com.br


Conheça e assine o nosso canal no Youtube.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Vídeos do Nanoclean Vidro Líquido ou Liquid Glass.

Abaixo temos água com corante azul colocada na superfície de couro nobuk protegido com Nanoclean Liquid Glass.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Abaixo temos vídeo com o resultado de Liquid Glass aplicado em Vidraria de Laboratório Nanoclean Vidro Líquido é Alemão.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Veja o resultado de Nanoclean AÇO INDUSTRIAL .

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Confira o resultado de Nanoclean AÇO INDUSTRIAL em mixer de chocolate.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Confira o resultado de Nanoclean AÇO INDUSTRIAL nas cozinhas.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Veja resultado em vidros de barcos

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Tecnologia Alemã. Tecnologia Alemana. Technologie Allemande. Germany Tecnologic. Deustsch Technologie. Made in Germany.

*Soluções tecnológicas  fabricadas na Alemanha para o mercado profissional.
**Technologische Lösungen in Deutschland für den professionellen Markt gefertigt.
***Soluciones tecnológicas fabricados en Alemania para el mercado profesional.
****Technological solutions manufactured in Germany for the professional market.
*****Les solutions technologiques fabriqués en Allemagne pour le marché professionnel.

Contatos

Pomerode/SC
+55 (047) 9983-7850 ou +55 (047) 3380-1857

Todos os Direitos Reservados ® Provida 2020