Antimicrobianos Inorgânicos

Nanoclean Glass: Nanoclean Glass é um masterbatch Antimicrobiano inorgânico eficiente e potente que foi formulado dentro dos padrões ANVISA. Nanoclean Glass é uma matriz vítrea com íons de prata ou íon de outro metal se mais apropriado para a aplicação final do produto. Antibacterianos que utilizam vidros aditivados com íons metálicos podem ser usados com toda a segurança nos setores hospitalares, alimentícios e doméstico. Nanoclean Glass é incorporado com a resina ou outra matéria prima durante o processo de fabricação do produto (durável ou descartável) agregando as características antimicrobiana e bacteriostática no produto por toda a sua vida útil. Antimicrobial Inorganic eficiente. Antibacterial Inorganic potente. Eficient Protection. Íons de prata transformam simples embalagens em embalagens ativa. Silver Glass. Embalagem ativa aumenta o shelf life do produto. Nanoclean Glass é mais potente do que você pensa e mais econômico do que você imagina.

Você sabia que temos Liquid Glass? O Nanoclean Liquid Glass.

Nanoclean Vidro Liquido Antimicrobiano está na nossa lista de produtos disponível para o mercado.

Nanoclean CorrosãoX, Nanoclean Infinito e Nanoclean Náutico é a nossa linha de produtos para eletrônicos e elétricos.

 

Leia mais...
Você está em: Home Bactérias Bácterias Técnica de Gram

Técnica de Gram

Técnica de Gram

Provida Provendo Soluções Preservando Vidas. Eficiente Contra Bactérias, Vírus e Fungos. Prevenção deveria ser Obrigação!

A técnica de Gram, também conhecida como coloração de Gram, é um método de coloração de bactérias desenvolvido pelo médico dinamarquês Hans Christian Joachim Gram (1853-1938), em 1884, o qual permite diferenciar bactérias com diferentes estruturas de parede celular a partir das colorações que estas adquirem após tratamento com agentes químicos específicos. O método consiste em tratar sucessivamente um esfregaço bacteriano, fixado pelo calor, com os reagentes cristal violeta, lugol, etanol-acetona e fucsina básica. As bactéricas que adquirem a coloração azul violeta são chamadas de Gram-positivas e aquelas que adquirem a coloração vermelho são chamadas de Gram-negativas.

Provida Provendo Soluções Preservando Vidas. Eficiente Contra Bactérias, Vírus e Fungos. Prevenção deveria ser Obrigação!

 

Método.

O método da coloração de Gram é baseado na capacidade das paredes celulares de bactérias Gram-positivas de reterem o corante cristal violeta no citoplasma durante um tratamento com etanol-acetona enquanto que as paredes celulares de bactérias Gram-negativas não o fazem.

A coloração de Gram é um dos mais importantes métodos de coloração utilizados em laboratórios de microbiologia e de análises clínicas, sendo quase sempre o primeiro passo para a caracterização de amostras de bactérias. A técnica tem importância clínica uma vez que muitas das bactérias associadas a infecções são prontamente observadas e caracterizadas como Gram-positivas ou Gram-negativas em esfregaços de pus ou de fluidos orgânicos. Essa informação permite ao clínico monitorar a infecção até que dados de cultura estejam disponíveis. É possível a análise de vários esfregaços por lâmina, o que facilita a comparação de espécimes clínicos. As lâminas podem ser montadas de forma permanente e preservadas como documentação. 

O método consiste no tratamento de uma amostra de uma cultura bacteriana crescida em meio sólido ou líquido, com um corante primário, o cristal violeta, seguido de tratamento com um fixador, o lugol. Tanto bactérias Gram-positivas quanto Gram-negativas absorvem de maneira idêntica o corante primário e o fixador, adquirindo uma coloração violeta devido à formação de um complexo cristal violeta-iodo, insolúvel, em seus citoplasmas. Segue-se um tratamento com um solvente orgânico, o etanol-acetona (1:1 v:v). O solvente dissolve a porção lipídica das membranas externas das bactérias Gram-negativas e o complexo cristal violeta-iodo é removido, descorando as células. Por outro lado, o solvente desidrata as espessas paredes celulares das bactérias Gram-positivas e provoca a contração dos poros do peptidoglicano, tornando-as impermeáveis ao complexo; o corante primário é retido e as células permanecem coradas. A etapa da descoloração é crítica, pois a exposição prolongada ao solvente provoca a remoção do cristal violeta dos dois tipos de bactérias, podendo produzir resultados falsos. A retenção ou não do corante primário é, portanto, dependente das propriedades físicas e químicas das paredes celulares bacterianas tais como espessura, densidade, porosidade e integridade.

Em seguida, a amostra é tratada com um corante secundário, a fucsina básica. Ao microscópio, as células Gram-positivas aparecerão coradas em violeta escuro e as Gram-negativas em vermelho ou rosa escuro. Células de bactérias Gram-positivas, células velhas, mortas ou com envelopes danificados por agentes físicos ou químicos, tendem a perder o cristal violeta e uma mesma amostra bacteriana pode exibir parte ou todas as células coradas como Gram-negativas. Portanto, o uso de material fresco é importante. Por outro lado, resultados do tipo "falso Gram-positivo" só são obtidos se o tratamento com etanol-acetona for omitido.

Procedimento

  1. Confeccionar o esfregaço;
  2. Corar com violeta de cristal por 60 segundos;
  3. Lavar com esguicho de água destilada;
  4. Cubrir com Iodo de Gram ou Lugol por 60 segundos;
  5. Lavar com esguicho de água destilada;
  6. Descorar com álcool a 95%, ou acetona, 10-20 segundos;
  7. Lavar com esguicho de água destilada;
  8. Corar com safranina por 60 segundos
  9. Lavar com água destilada, secar e observar ao microscópio.

As características estruturais da parede bacteriana estão na base da técnica de Gram que funciona da seguinte forma.

O primeiro corante (cristal-de-metila) penetra na bactéria assim como o mordente (Soluto de Lugol). Intracelularmente forma-se um complexo corante-iodo, insolúvel em água, que vai corar o protoplasma e a parede celular. A camada de peptidoglicano é maior em bactérias gram positivas, as gram negativas, por sua vez possuem pouco peptidoglicano e são coradas pelo vermelho de safranina.

A lavagem com álcool 99,5º GL dissolve o complexo corante-iodo, e a se a parede celular for permeável a este, arrasta-o para fora da célula. As bactérias capazes de preservar a coloração roxa do 1º corante, o violeta de Genciana, designam-se por Gram positivas. As bactérias que, após a lavagem com álcool-acetona, são incapazes de reter o violeta de Genciana, designam-se por Gram negativas, corando pela fucsina diluída que se fixa apenas nas bactérias Gram-negativas. Resumindo, as bactérias Gram positivas coram de roxo e as Gram negativas coram de vermelho. Esta técnica de coloração permite então a distinção entre bactérias com parede celular mais ou menos rica em peptidoglicanos. De referir que embora uma bactéria Gram negativa nunca possa corar positivamente pelo Gram, uma bactéria estruturalmente Gram positiva pode corar negativamente se a sua parede de peptidoglicano for destruída ou danificada (ex. envelhecimento celular ou acção de lisozimas).

Preparação para a coloração

Na observação microscópica pós coloração o material a observar deve ser previamente fixado, o que facilita a observação de bactérias, uma vez que têm reduzidas dimensões, fraco contraste e algumas refringência e mobilidade.

A fixação é a coagulação do protoplasma bacteriano com o mínimo de deformação e sua colagem à lâmina. Como exemplos de agentes fixadores temos o calor, o formol e o éter.

A coloração recorre do uso de corantes e permite aumentar o contraste e evidenciar a estrutura bacteriana. Estes são compostos orgânicos, com um ou mais anéis benzênicos que se encontram ligados a dois grupos funcionais, o cromóforo que é responsável pela cor do corante e o auxócromo que se dissocia ionicamente em solução dotando o corante de capacidade para reagir com os tecidos, células e estruturas celulares. Podemos diferenciar dois tipos de corantes: os corantes ácidos (são negativos, formando sais com cátions) e os corantes básicos (são positivos, formando sais com ânions). Como as bactérias possuem carga eléctrica negativa, existe afinidade entre os corantes básicos e as estruturas celulares da bactéria, permitindo que esta fique corada. Para reforçar a ação do corante, aumentando a força de ligação deste, as estruturas celulares utilizam-se de mordentes como o ácido tânico, o ácido crômico, o ácido fênico, o iodo (Soluto de Lugol), o calor e os álcalis. Os solutos corantes são compostos de várias substâncias, sendo geralmente hidro-alcoólicos-fenicados porque, além da substância corante, possuem água para permitir a dissociação iônica do corante; álcool para conservar e ácido fênico, que atua como mordente e como bacteriostático, evitando a contaminação das soluções corantes. Após a aplicação do corante, aplica-se um diferenciador, que serve para retirar o excesso de corante (acetona, ácido sulfúrico, álcool 95º). Os diferenciadores têm a capacidade de descorar certas bactérias já previamente coradas e são usados em colorações policromáticas. A preparação de colorações policromáticas segue um protocolo constante. Assim, sobre um esfregaço (células fixadas pelo calor), aplica-se:

  • O primeiro corante
  • O mordente
  • O diferenciador
  • Água (vai parar a diferenciação)
  • Segundo corante (vai ser contrastante)

Ilustrações:

Técnica de Gram

Hans Cristhian Joachim Gram

Bactéria

É fato comprovado. Infecção hospitalar  mata, e muito, todos os anos. Boas práticas em higiene pessoal, limpeza de ambientes e utensílios  utilizados para  atendimento  a clientes/pacientes  são medidas preventivas eficientes, porém dentro de um processo  contínuo, em que um grande número de pessoas são envolvidas  e que também envolve equipamentos e acessórios médicos/hospitalares  de áreas distintas,  o risco de contaminação cruzada cresce de uma forma intensa, por que o volume de atendimentos são altos. Dessa forma os aditivos antimicrobianos ou antibacterianos incorporados em resinas plásticas, tecidos e tintas  durante a fabricação, podendo ser um bem descartável ou durável mostram o seu valor de uso. Esses aditivos aliados às boas práticas ampliam a barreira de proteção quanto à contaminação cruzada, reduzindo a contaminação cruzada e consetuente infecção hospitalar , mas nunca abandonando as normas recomendadas de limpeza e procedimentos.

Um bom aditivo antimicrobiano tem as funções bactericida e bacteriostática. Um produto eficiente também deverá eliminar além das bactérias, os bolores, as leveduras e os vírus. Os benefícios dessas tecnologias são amplos, é preciso saber quantificar e monetarizar os resultados para que possam ser comparados com o acréscimo dos custos. A tradicional relação CUSTO X BENEFICIO é que apontará a posição financeira. Por que quanto chegamos a palavra final CUSTOS, aumento de CUSTOS surge o impasse! Certamente todo aditivo agrega um custo na matéria prima por que ele trará um resultado desejado, nesse momento conte com uma alternativa econômica, eficiente e duradoura, consulte a Provida Antimicrobianos, site www.provida.ind.br, nele você encontrará 03 linhas de antimicrobianos para tintas e resinas plásticas, a linha de antimicrobianos orgânicos "Nanoclean 80 e Nanoclean 500", a linha de antimicrobianos inorgânicos "Nanoclean Glass" produzido com silver glass (íons de prata em matriz vítrea) e a terceira linha inédita no mercado o antimicrobiano 100% natural "Nanoclean Active" desenvolvido para transformar embalagens convencionais em embalagens ativas, produzido com ácidos orgânicos (100%). Das 3 linhas de produtos certamente uma resolverá o seu problema de microrganismos com eficiência e economia. Você encontrará também no www.provida.ind.br várias matérias técnicas sobre plásticos, boas práticas, bactérias, fungos, bolores, leveduras e vírus. Além de ter acesso a várias matérias de institutos ligados à saúde e a indústria alimentícia.

Att.

Nanoclean Nanotecnologia GmbH.

 

Soluções antimicrobianas:

Masterbaches Antimicrobianos.

A Provida Antimicrobianos possui produtos que quando aplicados em resinas plásticas, borrachas, silicone e TR eliminam vírus, bactérias, leveduras e bolores. Leia sobre o o masterbatch orgânico Nanoclean 500, masterbatch inorgânico Nanoclean Glass e masterbatch natural Nanoclean Active. Essa é a linha de masterbaches antimicrobianos.

Vidro Líquido Antimicrobiano (sanitizantes e detergentes)

Temos uma segunda linha de produtos antimicrobianos, são os produtos que podem ser aplicados em superfícies novas e usadas.

São produtos práticos, econômicos e eficientes. Saiba mais sobre os Nanocleaners.

Vidro Líquido Definitivo (longo prazo)

Também temos soluções definitivas que evitam a formação de biofilmes e também tem o propósito de economia de água, energia, detergentes e serviço, visite: www.nanoclean.ind.br veja tudo sobre Vidro Líquido ou Liquid Glass, uma tecnologia Alemã.

Temos soluções específicas para mercados:

Soluções para veículos: www.nanoauto.com.br

Soluções para arquitetura: www.nanohome.com.br

Soluções para área náutica: www.nanonautico.com.br


Conheça e assine o nosso canal no Youtube.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Vídeos do Nanoclean Vidro Líquido ou Liquid Glass.

Abaixo temos água com corante azul colocada na superfície de couro nobuk protegido com Nanoclean Liquid Glass.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Abaixo temos vídeo com o resultado de Liquid Glass aplicado em Vidraria de Laboratório Nanoclean Vidro Líquido é Alemão.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Veja o resultado de Nanoclean AÇO INDUSTRIAL .

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Confira o resultado de Nanoclean AÇO INDUSTRIAL em mixer de chocolate.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Confira o resultado de Nanoclean AÇO INDUSTRIAL nas cozinhas.

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Veja resultado em vidros de barcos

Fique sempre atualizado: www.youtube.com/nanocleanvidroliquido


Tecnologia Alemã. Tecnologia Alemana. Technologie Allemande. Germany Tecnologic. Deustsch Technologie. Made in Germany.

*Soluções tecnológicas  fabricadas na Alemanha para o mercado profissional.
**Technologische Lösungen in Deutschland für den professionellen Markt gefertigt.
***Soluciones tecnológicas fabricados en Alemania para el mercado profesional.
****Technological solutions manufactured in Germany for the professional market.
*****Les solutions technologiques fabriqués en Allemagne pour le marché professionnel.

Contatos

Pomerode/SC
+55 (047) 9983-7850 ou +55 (047) 3380-1857

Todos os Direitos Reservados ® Provida 2021